Feminicídio: Após recusar pedido de namoro, mulher é morta em Cachoeira

 

Uma mulher identificada como Tainara Freitas Sena, de 21 anos, foi assassinada na tarde deste domingo, 23, em Cachoeira, no Recôncavo da Baiano. Segundo informações, Israel Conceição Cerqueira, de 21 anos, teria sido preso em flagrante após assassinar a vítima com golpes de faca. Os golpes atingiram os braços, abdômen e costas da vítima, que faleceu antes da chegada da polícia.

O acusado tentou fugir e golpeou seu próprio pescoço, mas foi socorrido com vida pela Polícia Militar e encaminhando ao Hospital Regional Santo Antônio de Jesus, onde segue internado.

 

No Brasil, mais de 10 mil processos de feminicídio aguardavam julgamentos no final de 2017 em tribunais de Justiça brasileiros. De acordo com levantamento do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o esforço do juízes em aplicar a lei em casos de assassinatos de mulheres gerou mais sentenças em relação ao ano anterior.

Segundo o Mapa da Violência, de 2015, o número de mulheres vítimas de homicídio aumentou de 3.937 para 4.762 entre os anos de 2003 e 2013. Para fazer frente ao fenômeno social, os magistrados da Justiça Estadual emitiram no ano passado 4.829 sentenças, 2.887 a mais que em 2016.

Apesar disso, o volume de processos é maior que a capacidade da Justiça de julgar responsáveis pelos crimes. O ano de 2017 terminou com 10.786 processos de feminicídio sem solução da Justiça, de acordo com o estudo “O Poder Judiciário na Aplicação da Lei Maria da Penha – 2018”, elaborado pelo Departamento de Pesquisas Judiciárias (DPJ/CNJ), com base em informações prestadas pelos tribunais de Justiça.