Dom Macedo Costa realiza etapa municipal de conferência da saúde

bb6a69af-db8b-4e54-a857-a6a212cb4083
92884c51-ae15-4618-9672-27afdf1611c6

Discutir saúde e democracia no contexto do SUS. Com esse objetivo a Secretaria Municipal de Saúde e o Conselho Municipal de Saúde promoveram durante todo a última quinta-feira (14) a etapa municipal da Conferência Nacional de Saúde. A abertura contou com a participação do prefeito Egnaldo Piton, que ressaltou a relevância das conferências de Saúde para a proposição de ações a serem implementadas por políticas públicas municipais, estaduais e federais, como que as que já estão sendo colocadas em prática em âmbito local, como a implantação do serviço de fisioterapia e a universalização do acesso à água potável.
Refletindo sobre o conceito de saúde não só como ausência de doenças, a professora Maria Mercêis Lemos, representante do Conselho Municipal de Saúde, explanou sobre como um estado de bem-estar físico, mental e social são indicativos de vida saudável de maneira ampla, como preconiza a OMS (Organização Mundial da Saúde).
Em sua fala, a secretária municipal de Saúde, Luana Moreira Piton, falou sobre a consolidação dos princípios do SUS (Sistema Único de Saúde), um dos eixos a serem discutidos; e o assessor técnico em Saúde, Fábio Costa, discorreu sobre o financiamento adequado e suficiente para o SUS, outro eixo em debate.

Dom Macedo Costa realiza etapa municipal de conferência da saúde

“As Conferências surgem no contexto de respeito a um dos princípios do SUS, que é o controle social. Este é um espaço onde as pessoas podem deliberar e sugerir propostas a uma temática mais geral, que este ano tem tudo a ver com o contexto em que vivemos, que é a Democracia e Saúde”, ponderou a secretária Luana.
A programação contou ainda com dramatizações realizadas pelas equipes da Unidade e com apresentação sobre os direitos conquistados e ameaçados no setor, realizada pelas Agentes Comunitárias de Saúde. Durante a tarde, os participantes dividiram-se em grupos onde discutiram e elencaram as propostas a serem levados à plenária estadual.
“Na etapa municipal trazemos a conferência para mais perto do cidadão. Esta etapa possibilita que cada munícipe discuta os eixos temáticos e, após a discussão, eles consigam sugerir ideias ao alcance do direito à saúde. É um momento democrático muito importante, mas infelizmente pouco valorizado. Precisamos romper a pobreza política e a consequente incipiente participação social nesses espaços tão democráticos”, ressalta Luana.
O momento também foi de eleição dos delegados que representarão Dom Macedo Costa na etapa estadual, em Salvador, na condição de usuários, profissionais e gestores municipais em Saúde.

Ascom DMC