Transexual de Varzedo fala sobre preconceitos sofridos no dia a dia

Natural da cidade de Varzedo, no Recôncavo baiano, a transexual Milena Passos é  diretora da União Nacional LGBT e funcionária da Secretaria de Políticas para Mulheres do Governo da Bahia. Em visita a FACEMP durante a V Semana Acadêmica, a mesma participou de um debate sobre temas relacionados à educação, gênero e diversidade.

Em entrevista concedida ao Portal Tribuna do Recôncavo, Milena falou sobre as críticas que o governo recebeu por ter liberado a cirurgia de mudança de sexo com cobertura pelo Sistema Único de Saúde (SUS). “As pessoas estão sendo precipitadas, acho que isso é um direito nosso, pagamos impostos, somos cidadãs e essa cirurgia não é uma brincadeira, é uma readequação. Essa resolução não está tirando direito de nenhum outro cidadão.”

Ainda em entrevista ao repórter Hélio Alves, Milena Passos falou sobre uma resolução do Governo da Bahia de 2013 que instituiu a portaria nome social, garantindo a qualquer pessoa que se sinta constrangida com seu nome, poder modificá-lo, e ter seu direito respeitado. Milena ressaltou que a travesti está bem com seu sexo biológico e a transexual precisa fazer a cirurgia para se sentir bem com seu sexo biológico, por isso sua luta.

Com uma longa experiência por ocupar cargos de combate à discriminação e promoção de direitos para lésbicas, transexuais e trans, Milena deixa um recado para as famílias que tenham um ente querido homo afetivo. “Apoiem seus filhos, eles são seres humanos iguais a qualquer um de vocês, os pais têm que acolhê-los. É muito importante você apoiar seus filhos e ajudá-los, não é doença ser gay, ser lésbica, ser travesti ou transexual, pelo contrário é como qualquer outra pessoa.”

Milena viveu sua infância na localidade do Braga, zona rural de Varzedo, morou em Santo Antonio de Jesus, e atualmente reside em Salvador.  (Tribuna do Recôncavo)