Ao pedir ajuda a vizinhos, mulher cai na rua, conta que havia sido agredida pelo marido e morre

Foto: reprodução

“Tinha marcas de agressão para todo lado”, foi assim que uma testemunha definiu a situação de Leonida Freitas, de 48 anos, que morreu na manhã desta quarta-feira (17), no Jardim Los Angeles, em Campo Grande.

Leonida disse às testemunhas que estava passando mal, em seguida caiu e quando o Samu chegou ela já estava morta. “Ela falou que estava com muita dor no pulmão, que o marido tinha batido muito nela”, fala um morador que ajudou no socorro.

Familiares disseram à polícia que Leonida convivia com o suspeito há 15 anos e era agredida constantemente por ele, o qual seria usuário de drogas, mas o denunciou poucas vezes. A última agressão teria sido no domingo (14), tendo como consequência diversas lesões.

Uma das filhas da Leônida esteve com ela na noite de terça-feira (16) e viu as marcas. A mulher estava bastante debilitada, com diversos hematomas no rosto, peito, costas, braços e pernas e contou que o marido a havia agredido, porém, recusou ser levada para atendimento médico e também não quis registrar boletim de ocorrência.

No início da manhã de hoje, vizinhos viram Leônida caminhando na rua e pedindo ajuda. Em seguida ela caiu, falou das agressões e morreu antes que o Samu chegasse.

Para a família, Leonida morreu em decorrência da violência doméstica. O marido dela não foi encontrado.

Segundo o delegado Christian Duarte Mollinedo, ela tinha lesões nos olhos, nas costas e na pernas. O caso foi inicialmente registrado como morte a esclarecer.

Ainda conforme o delegado, somente a perícia irá dizer se as lesões eram de agressões. Caso seja confirmado, a investigação será encaminhada para a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher.

*G1