Bombeiro ateia fogo em sede de jornal protestando contra medidas restritivas

Foto : Reprodução/Câmera de Segurança

O bombeiro municipal Cláudio José de Azevedo, de 55 anos, foi responsável por atear fogo na porta de um jornal em Olímpia (SP). O agente confessou à polícia que cometeu o crime por não aceitar as medidas adotadas por governantes para frear o avanço da Covid-19. O dono do jornal relatou que sofria ameaças por defender as medidas restritivas.

Além da sede do jornal Folha da Região, onde também funcionam o site IFolha e a Rádio Cidade FM, as chamas atingiram a porta da casa de moradores das redondezas. O caso foi registrado na madrugada do dia 17 de março. De acordo com o delegado Marcelo Pupo, Cláudio se apresentou à delegacia acompanhado de um advogado na quarta-feira (31). Ele confessou o crime, disse que agiu sozinho e foi liberado para ser investigado em liberdade.

Em nota, a Prefeitura de Olímpia manifestou repúdio à conduta do servidor público que atua na unidade do Corpo de Bombeiros do Estado há mais de 20 anos. Segundo o delegado, a polícia chegou ao bombeiro municipal depois de analisar diversas câmeras de segurança e descobrir que a irmã dele tinha registrado um boletim por desaparecimento no dia 25 de março. As investigações da Polícia Civil vão continuar com o objetivo de saber se há outros envolvidos no caso que podem ter induzido Cláudio a cometer o crime.

O bombeiro relatou que pensou em tirar a própria vida ou a de um político por não aceitar as medidas dos governantes de restrição quanto à Covid-19. Como o bombeiro municipal se apresentou de forma espontânea na delegacia e possui ficha limpa, o delegado Marcelo Pupo decidiu não pedir a prisão preventiva dele.

*M1