Setor funerário está atuando com ‘zona vermelha’, diz associação

Foto : Jefferson Peixoto/Secom/PMS

O presidente da Associação Brasileira de Empresas e Diretores do Setor Funerário (Abredif), Lourival Panhozzi, afirmou que há um indicativo pré-colapso na área em meio à pandemia de Covid-19. Ao todo, o país já contabilizou 322 mil mortes por Covid-19.

Segundo ele, o setor funerário está atuando no limite da capacidade. “O setor aguenta a pressão a duras penas, mas ela precisa parar, porque ninguém aguenta o tempo todo. Estamos na zona vermelha”, disse, à revista Época.

Panhozzi afirmou que ainda não houve falta de caixões, e descarta um desabastecimento na produção de maiores proporções. Segundo o presidente da associação, antes da pandemia os fabricantes de urnas funerárias produziam de 110 mil a 120 mil caixões por mês.

Com o avanço da pandemia, o contingente saltou para até 150 mil por mês. “A previsão é quase impossível de fazer, o vírus é muito malvado, não tem muito padrão. É uma areia movediça. O número de mortes só aumenta”, afirmou.

*M1