Brasil tem segundo pior ano de desmate da Amazônia da história recente

Brasil tem segundo pior ano de desmate da Amazônia da história recente
Foto: Agência Brasil

O Brasil registrou o seu segundo pior ano de desmatamento na Amazônia na história recente, com apenas o período de 2019-2020 tendo sido mais destrutivo para o bioma.

Os dados são do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), que apontou que de agosto de 2020 a julho de 2021, foram derrubados cerca de 8.712 km² de floresta, uma queda de 5% em relação ao período anterior. Os números devem ser maiores já que o sistema do Inpe ainda não recebeu as inclusões do dia 31 de julho.

A pesquisa foi realizada com base no sistema Deter, que é utilizado para auxiliar as políticas de controle de desmatamento e observar as tendências de crescimento ou redução do desmate durante o ano. Através dele, os pesquisadores observaram que quatro meses do período 2020-2021 superaram desmates de 1.000 km².

Especialistas apontam que o fato dos dois períodos mais destrutivos da nossa fauna terem ocorrido após o início do governo Bolsonaro não pode ser tratado como coincidência. Durante a administração do presidente da República, o desmatamento cresceu cerca de 70% de acordo com o  Observatório do Clima (OC). O desmonte de políticas ambientais, principalmente durante a gestão do ex-ministro Ricardo Salles, contribuiu para o cenário de acordo com o órgão.

“O desmatamento, embora tenha causas complexas, é antes de tudo movido a expectativas. Quando o Presidente da República diz que vai ‘tirar o Estado do cangote’ dos predadores da floresta, a bandidagem avança em cima do patrimônio dos brasileiros. Quando ele e seus auxiliares vão além do discurso e começam a tomar medidas nesse sentido, o crime festeja”, afirmou o Observatório em nota.