Briga de vizinhos por causa de galo que cantava ‘Bolsonaro’ acaba em morte

Briga de vizinhos por causa de galo que cantava ‘Bolsonaro’ acaba em morte
Marcos Custódio Ferreira, 52 anos, teria matado vizinho por rixa em galinheiro (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Um homem de 52 anos foi preso na última sexta-feira (29), acusado de matar um vizinho depois de uma briga por causa de um galo, em Petrópolis, no interior do Rio. Segundo informações da Polícia Civil carioca, o homem morto acreditava que o animal cantava o nome do presidente Jair Bolsonaro.

Segundo as investigações, Marcos Custódio Ferreira atirou contra Ricardo Carneiro Montojos na manhã de 4 de setembro próximo à entrada do Parque Nacional da Serra dos Órgãos. Quando ele já estava no chão, usou uma pedra de cerca de 8 kg para atingir a cabeça da vítima, que morreu na hora.

Depois de contratar um advogado, o suspeito foi à delegacia da cidade para prestar esclarecimentos. De acordo com a polícia, ele confessou o assassinato e afirmou que agiu por rixas antigas por causa do galinheiro que havia em seu terreno.

O homem contou que Montojos alegava que ele havia ensinado seu galo a dizer a palavra “Bolsonaro” por implicância, uma vez que a vítima não gostava do presidente  O suspeito foi preso após a Justiça expedir um mandado de prisão preventiva e responderá por homicídio qualificado.