Investigação aponta que homem matou ex-namorada grávida por não querer ter filho negro

Foto montagem: reprodução

Um homem identificado como Victor de Souza Rocha, 21 anos, foi preso suspeito de matar a ex-namorada grávida porque ela era negra. A investigação aponta que ele teria dito a amigos que jamais teria um filho com características negras. 

A prisão aconteceu na terça (21), em Manaus, e a jovem Karine Sevalho Lima, 19 anos, foi morta em 2022.

O delegado Ricardo Cunha, da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), diz que  Victor e Karine namoravam, mas o relacionamento desandou  quando ela descobriu a gravidez. Victor então teria passado a pressionar Karine para que ela fizesse um aborto. 

O corpo de Karine foi encontrado em um matagal de Manaus em 26 de maio do ano passado. Ela tinha perfurações de arma branca por todo o corpo, o rosto desfigurado e outros sinais de tortura. O delegado explicou ao G1 que no dia do crime, Karina foi encontrar Victor para dizer que a família já sabia que ele era o pai do bebê que ela esperava e dizer novamente que não faria aborto. Na época, ela já estava grávida de sete meses.

“No dia do crime, Karine teria ido encontro ao Victor, para informar que sua família tinha conhecimento de que ele seria o genitor do bebê e afirmar que não iria realizar o aborto. As investigações apontam que eles tiveram um desentendimento em razão do autor não ter aceitado o posicionamento da vítima, o que o levou a tirar a vida dela”, disse o delegado Ricardo Cunha.

Ainda segundo o delegado, Victor foi preso na casa de familiares e não quis falar com a polícia, se mantendo em silêncio. “Desde a época do crime ele não havia sido mais visto, tentamos efetuar a prisão dele por diversas vezes, mas ele estava foragido. Ele está acompanhado de um advogado e quis exercer o direito de permanecer em silêncio e não colaborou com as investigações”, acrescenta.



Veja mais notícias no blogdovalente.com.br e siga o Blog no Google Notícia