Golpe do Pix: Saiba como recuperar o dinheiro perdido

Créditos da foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

 

Em 2020, o Pix foi criado transações bancárias no Brasil, o que atraiu criminosos cibernéticos. A Silverguard, empresa de segurança financeira no mundo digital informa que 4 em cada 10 brasileiros já sofreram tentativa do golpe que utilizava o Pix, dos atingidos, 22% já perderam dinheiro.

“O desconhecimento sobre o que fazer depois de sofrer um golpe com Pix é enorme. Mesmo quem já sofreu algum golpe com Pix não conhece o MED (Mecanismo Especial de Devolução), evidenciando falhas de conhecimento e de comunicação sobre o assunto nas instituições financeiras”, informa Marcia Netto, CEO da Silverguard.

O golpe do Pix é uma forma de fraude financeira que se utiliza do desconhecimento ou da vulnerabilidade digital da vítima para obter recursos financeiros através transferências bancárias.

Segundo especialistas em cibersegurança po Tilt, quanto mais rápido a vítima tomar medidas para recuperar o valor enviado aos golpistas, maiores são as chances de obter o dinheiro de volta.

  • Interrompa a comunicação com o golpista

Ao perceber que foi vítima de um golpe, interrompa a comunicação com o cibercriminoso e acione imediatamente o seu banco.

 

  • Documente o golpe

Registre imagens da tela do celular, número de contato do golpista, chave Pix para a qual o valor foi enviado, número da transação e conversas de WhatsApp. Tudo deve ser registrado e informado aos bancos.

Se a conversa do golpe foi via WhatsApp, não bloqueie o contato, pois isso poderá ocultar a conversa e impedir que você faça a captura de tela.

 

  • Acione o MED

Entre em contato imediatamente com o banco para ativar o Mecanismo Especial de Devolução, que foi criado pelo Banco Central para recuperação do dinheiro. Quanto mais rápido o acionamento, melhor, apesar o sistema permita abertura de reclamações em até 80 dias após o golpe.

Após ser acionado, o banco do golpista bloqueia o valor e ambas as instituições (da vítima e do suspeito) analisam o caso a partir do perfil e alegações de cada uma das partes, em um prazo de 7 dias.

Caso seja confirmado o golpe, o montante será transferido da conta do criminoso sai para a da vítima em até 96 horas. Isso só acontece se ele não tiver sacado o valor.

Se a conta do golpista estiver vazia, a instituição financeira dele deve monitorar as transações por até 90 dias para que todo o dinheiro seja repassado à vítima até que o valor, seja completamente devolvido. Em seguida, faça um boletim de ocorrência sobre o fato ocorrido.

 

 

Com informações do site Uol.



Veja mais notícias no blogdovalente.com.br e siga o Blog no Google Notícia