Bahia ocupa segundo lugar na produção nacional de frutas, aponta IBGE

A fruticultura é uma das atividades que têm demonstrado bom desempenho na Bahia. Um levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta que a atividade econômica foi responsável por gerar R$ 3,1 bilhões à economia, o equivalente a 8,6% do valor da produção nacional (R$ 35,7 bilhões). O estado ficou em segundo lugar no ranking de produção, perdendo apenas para São Paulo (11,5 bilhões).

Ainda de acordo com dados do IBGE, o município baiano com a maior produção de frutas é Juazeiro, cujo valor faturado é de R$ 589.517.000 seguido de Casa Nova (R$ 289.610.000) e Bom Jesus da Lapa (R$ 227.545.000). Dentre as frutas analisadas, a que possui a maior produtividade por hectare é o Mamão (40.473kg/há). Em segundo lugar aparece a Uva (37.352 kg/há) e o melão (22.575 kg/ha).

Em relação a 2018, o valor da produção da fruticultura na Bahia sofreu acréscimo de 12,8%, o que representou mais R$ 349,4 milhões em um ano. O bom desempenho da fruticultura em Juazeiro e Casa Nova foi impulsionado pela produção de manga, que teve o principal destaque positivo entre as frutas baianas.

Entre 2018 e 2019, a Bahia registrou o maior crescimento absoluto tanto na quantidade colhida de manga quanto no valor gerado pelo produto. Assim, embora o estado tenha se mantido como o segundo maior produtor da fruta (em toneladas), ultrapassou Pernambuco e recuperou o posto de maior valor de produção de manga no país, no ano passado.

A safra baiana de manga foi de 442.233 toneladas em 2019, um crescimento de 16,9% (mais 63,9 mil toneladas) em relação a 2018; e gerou um valor de R$ 652,4 milhões, 54,4% maior que o de 2018 (mais R$ 229,8 milhões).

O município de Casa Nova, também no norte da Bahia, passou a ser a terceira cidade com maior valor de produção de manga no país, em 2019. O município de Livramento de Nossa Senhora também subiu uma posição nesse ranking, de sétimo para sexto lugar. Já Curaçá entrou na lista dos dez municípios brasileiros com maior valor de produção na manga em 2019, na 10ª posição (era 14º em 2018).

Fonte: Tribuna da Bahia