APLB condiciona retorno das aulas à vacinação de professores e ameaça declarar greve

APLB, condicionou o retorno às aulas presenciais nas escolas à vacinação dos professores. Em nota a entidade informou que recebeu denúncias sobre a convocação de professores, coordenadores pedagógicos, para o retorno às unidades escolares.

Para o coordenador-geral da categoria, Rui Oliveira, seria ‘crime o retorno das aulas’ no momento vivido pelo estado em relação à pandemia da Covid-19.  Ainda conforme  Rui Oliveira os professores poderão entrar em greve caso seja determinado o retorno das aulas presenciais sem que a categoria seja imunizada contra a doença.

“Neste período de pandemia, onde a vacina contra o coronavírus ainda não alcançou o público dos (as) educadores (as), apesar da luta da APLB para que estes profissionais sejam incluídos no grupo prioritário desta primeira fase de vacinação, é inadmissível que os trabalhadores e trabalhadoras da área de ensino sejam expostos (as) ao risco de contaminação por meio do trabalho presencial”, diz trecho da nota.

Ainda conforme nota, ressalta que a APLB que atua em defesa da Educação e também da vida e reafirma sua posição contrária ao retorno das aulas presenciais sem a vacinação dos nossos educadores (as) e informa que tomará as devidas providências para impedir tal absurdo. A entidade avisa que recorrerá ao Ministério Público, à Secretaria de Educação da Bahia e ao Núcleo Territorial de Educação para impedir a convocação desses trabalhadores e trabalhadoras, caso sejam confirmadas as denúncias.