Ex-secretária Sônia Fontes afirma que não foi contra implantação do Atakarejo em Santo Antônio de Jesus

A ex-secretaria de Infraestrutura, Sônia Fontes, também se posicionou sobre  a implantação do Atacadão Atakarejo em Santo Antônio de Jesus. Em nota, ela afirma não ter sido contra a implantação do Atakarejo no município.

Confira nota completa:

Em agosto de 2020 foi solicitado à prefeitura uma análise prévia acerca do que poderia ser implantado na área objeto de discussão. Na verdade era um questionamento genérico, vez que não se falava objetivamente ainda em Atakarejo, nem sequer havia projeto. O Município se posicionou demonstrando preocupação com o impacto na vizinhança, emissão de ruídos ( poluição sonora ), que o futuro empreendimento poderia causar, sem contudo, repetimos, saber do que se tratava objetivamente. Recomenda, inclusive, caso fosse supermercado, material de construção, varejista, a disponibilidade de vagas para estacionamento. Em novembro, o Atakarejo protocolou no SAM o projeto e diante da objetividade, a prefeitura emitiu parecer técnico atestando que o referido projeto não feria o código de obras do município e solicitou que a empresa apresentasse o estudo de impacto de vizinhança, o que foi atendido. De posse do projeto e do estudo de impacto e vizinhança a prefeitura encaminhou todo o processo para a análise do Concidades, atendendo o rito natural. Convicto da importância da viabilização do empreendimento para a cidade, o Ex-Prefeito, convocou extraordinariamente uma reunião do Concidades, para o dia 29 de Dezembro de 2020, objetivando a aprovação do projeto. É tão óbvio esse desejo de aprovação, que se a gestão passada não tivesse decidido pela implantação do projeto, teria indeferido e não encaminhado para o CONCIDADES. Participaram dessa reunião, além de outras personalidades, os EX-SECRETÁRIOS, SÔNIA FONTES, IGOR COUTINHO, HÉLIO LIMA E LUCAS SANTOS, ONDE TODOS SE POSICIONARAM FAVORÁVEIS A APROVAÇÃO DO PROJETO, NÃO OBTENDO ÊXITO, FICANDO PARA SER DISCUTIDO EM 2021. ASSIM, LAMENTAMOS QUE OS INTERESSES DA POPULAÇÃO TENHAM SIDO DEIXADOS DE LADO EM DETRIMENTO DA VONTADE DE POUCOS.

Portanto, na nossa visão, não haveria nenhum impedimento legal para o prosseguimento do projeto. Além de ser, mais que importante, ficar claro, que não procede a informação de que a gestão anterior também teria se posicionado contra a intenção do Atakarejo de se instalar na nossa cidade e no local desejado.