“Não adianta fechar o comércio se não testar as pessoas”, diz Léo Valente

Santo Antônio de Jesus que há pouco tempo era um dos municípios com mais de 100 mil habitantes na Bahia sem casos de covid, hoje registra 93 casos, sendo 30 em isolamento domiciliar e 3 óbitos. O prefeito, assim como muitos no estado, tem buscado medidas para evitar a proliferação do vírus. Ações como barreira sanitária pedagógica, toque de recolher a noite, funcionamento parcial do comércio e outras que não tem impedido o aumento dos números de contaminados. A última medida anunciada pelo prefeito foi o fechamento do comércio a partir do dia 18 de junho e a possibilidade de antecipar o toque de recolher. Para o radialista Léo Valente, não adianta essas medidas se não realizar testes na população, “Esse é o grande problema, está faltando testes. Não adianta fechar o comércio se não testar as pessoas. Essa história de testar só estado crítico ou quem está com sintomas é errado, pois tem gente assintomático. Quer diminuir o número de casos, testem os profissionais de saúde, teste a população, as pessoas com comorbidades”, disse. De acordo o último boletim epidemiológico, o município fez 110 testes pelo Lacen e 201 na rede privada, ou seja, a rede pública tem testado pouquíssimo, “Quem tem dinheiro, plano de saúde está fazendo testes, mas a rede pública testa menos. Vão fechar, abrir comércio, antecipar feriado e se não fizer teste, o vírus vai continuar deitando, rolando e matando”, frisou Léo Valente. Os prefeitos têm alegado falta de testes suficientes para a população.