Divulgação de fotos de suspeitos e áudios relacionados a crimes dificulta trabalho da polícia, explica delegado de SAJ

Foto ilustrativa: reprodução

As redes sociais são muito utilizadas atualmente, e muitas vezes ajuda na elucidação de crimes, mas o contrário também acontece. 

Em certos casos a divulgação de informações pode atrapalhar a investigação policial, foi o que apontou o delegado da polícia civil de Santo Antônio de Jesus, Adilson Freitas, ao falar sobre a investigação do assassinato do empresário Jozelio Santos (veja aqui), na última quarta-feira (31). 

Foram divulgados nas redes sociais um áudio, fotos e nomes dos possíveis suspeitos do assassinato do empresário Jozelio (leia aqui). Não se sabe de onde partiu o compartilhamento, mas o delegado orientou que este ato seja evitado.

“Meu apelo é para que as pessoas evitem fazer divulgação de fotos de suspeitos porque isso prejudica demais as investigações. Demais mesmo. É péssimo para nós da polícia quando saí estas imagens nas redes sociais. Não só para a investigação em si, mas para o efeito da captura destes acusados”, disse. 

Para Delgado, se as fotos dos suspeitos não tivessem sido divulgadas juntamente com um áudio que os acusa, eles já estariam presos. 

“Certamente já estaríamos com eles aqui presos, o que dificultou foi essa divulgação de fotos, divulgação de nomes de possíveis autores. Apesar de fazer isso como forma de demonstrar como são os autores, isso para a polícia civil, para o trabalho investigativo prejudica muito”, salientou o Delegado. 

Atualmente sob o comando do Dr. Adilson Bezerra, a polícia civil de SAJ tem um alto índice de elucidação de homicídios – Foto: Blog do Valente

 

A polícia civil de SAJ tem um índice de elucidação de homicídios acima da média

Segundo Freitas, a polícia civil de Santo Antônio de Jesus tem apresentados ótimos resultados quando o assunto é a resolução de homicídios. O mesmo usou como exemplo a média de elucidação atingida até o mês de março de 2021.

“Nós temos 12 (doze) homicídios até o dia de hoje no ano de 2021, desses pelo menos 11 (onze) já estão solucionados, a maioria já está com a prisão preventiva decretada, apenas um sem elucidação, ou seja temos um índice de elucidação acima de 90% e eu desconheço uma cidade do nosso país que tenha este índice”, explicou.