SAJ: tia dava bebida alcoólica e maconha para que criança facilitasse o abuso sexual, diz delegada; confira entrevista

Três pessoas suspeitas de envolvimento no estupro de uma menina de oito anos tiveram os mandados de prisão cumpridos, nesta quarta-feira (14), em Santo Antônio de Jesus, por policiais do Núcleo de Atendimento à Mulher da 4ª Coordenadoria Regional de Policia do Interior (Coorpin), com sede na capital do  Recôncavo.

A mulher e os dois homens presos na ação são parentes da vítima e passaram a ser investigados a partir de uma denúncia, realizada pela mãe da menina no mês de março.

Em entrevista ao repórter Antônio Carlos,  a delegada Patrícia Neves Jackes  explica detalhes do caso. “Extremamente abalada com os relatos da filha, a mãe procurou o Conselho Tutelar, que, de imediato, realizou o acolhimento da menor e encaminhou a vítima e genitora ao Núcleo de Atendimento à Mulher”, disse.

Ainda de acordo com a delegada, exames periciais foram feitos na criança e o encaminhamento para o CREAS. “Recebemos um relatório, onde temos relatos de passagens terríveis de crueldade que a menor vivenciou  no lar destes indivíduos. A criança relata coisas abomináveis, inclusive, diz que foram mais de 10 vezes os abusos sofridos , e vivia sob ameaça de morte, onde a própria tia afirmava que iria derrubá-la da escada e matá-la, caso denunciasse os abusos”, detalhou.

Os envolvidos no crime irão responder por estupro de vulnerável, corrupção de menores, associação criminosa, maus-tratos e ameaça. “De acordo com informações de Dr. Patrícia, os abusos e ameaças eram cometidos pelos primos da criança. “Porém a genitora deles [dos primos] que monitoravam toda situação, ministrava bebidas alcoólicas para a criança e, aparentemente, segundo a criança, cigarros de maconha, com o intuito de fazer com que a criança facilitasse o abuso”,  relatou.

Ouça a entrevista completa: