Acusado de matar Moa do Katendê é condenado a 22 anos de 1 mês de reclusão

Foto: Reprodução/Arquivo pessoal

Um júri popular condenou nesta quinta-feira (21), após julgamento no Fórum Ruy Barbosa em Salvador, o barbeiro Paulo Sergio Ferreira de Sant’ana a 22 anos e 1 mês de prisão por homicídio doloso contra o mestre Moa do Katendê, a quem atacou a facadas em outubro de 2018.

A pena inclui a tentativa de homicídio duplamente qualificado contra Germino do Amor Divino, primo do mestre de capoeira, que estava com ele no dia do crime

O julgamento começou por volta das 8h30 e durou quase 12 horas. Moa foi morto com 13 facadas aos 63 anos, no dia 8 de outubro de 2018, horas após a votação do primeiro turno das eleições de 2018. Segundo o Ministério Público da Bahia (MP-BA), a maior parte dos ferimentos foi no pescoço e no tórax do capoeirista.

As investigações apontaram que a vítima discordou da posição política do suspeito, que disse ser eleitor do candidato Jair Bolsonaro, e foi esfaqueada ao revelar que tinha votado no PT.

O júri de Paulo Sério já havia sido marcado para 11 de setembro, mas foi adiado para esta quinta-feira, pois, segundo o TJ-BA, os defensores públicos em atuação e substituição que farão parte da sessão não estavam disponíveis para a data. Foi no mês de abril que o órgão divulgou que Paulo Sérgio iria à júri popular.

O suspeito virou réu após a Justiça aceitar a denúncia do MP-BA, no dia 22 de outubro de 2018.

*Bahia.Ba