Vendas para Réveillon devem ter alta de 5%

Vendas para Réveillon devem ter alta de 5%

“Desde pequena, sempre acompanhei a tradição da minha família (e de todo o mundo) de usar a cor branca no Réveillon para entrar num novo ano com muita paz e harmonia. Depois de adulta, também passei a usar o dourado, que dizem trazer prosperidade, mas sempre mantenho um detalhezinho branco que seja. Em qualquer uma das opções, entretanto, o que faço questão mesmo é de estar vestida com uma roupa nova, abrindo caminhos de renovação”. O depoimento da estudante de direito Renata Costa representa muito mais que superstição de Ano Novo. Implica, de fato, aumento das vendas do setor de vestuário nos últimos dias que antecedem a noite da virada.

Para o comércio de Salvador, a superstição da roupa nova, independentemente da cor escolhida, deve gerar um incremento de 5% nas vendas neste finalzinho do mês de dezembro – com destaque para as compras de última hora. A projeção de alta das vendas é do Sindicato dos Lojistas do Estado da Bahia (Sindilojas).

“Sempre depois do período de trocas, imediatamente após o Natal, começa o aquecimento das vendas das peças para o Réveillon, com in cremento, sobretudo, dos itens na cor branca”, diz Paulo Motta, presidente do Sindilojas.

Peças íntimas

As peças íntimas também movimentam as vendas neste período. Calcinhas e cuecas novas, seguindo cores que representam desejos de mais amor, riqueza ou paixão para o próximo ano, lideram a lista dos itens mais vendidos para a noite da Virada.

“As pessoas costumam vestir roupas brancas em pedido de paz, mas as lingeries precisam ser coloridas, e isso acaba movimentando as vendas e assegurando até a extensão dos contratos temporários de vendedores, no caso do setor de vestuário”, informa Hellen Silva, funcionária de uma loja no Shopping Barra, no bairro de mesmo nome na capital baiana.

Na tentativa de atrair o consumidor, as vitrines das lojas dos shoppings e do chamado comércio de rua já tradicionalmente abandonam neste período o vermelho e o verde característicos do Natal para estimular as superstições, prevalecendo a decoração na cor branca na maioria dos estabelecimentos.

A estudante Renata Costa é uma das consumidoras que devem fazer valer as projeções do Sindilojas. Ela já comprou as peças do vestuário para estrear na virada para 2020. “É um ano que tem um número bonito, o que já indica uma boa vibração e mais um motivo para não quebrar as superstições. Se elas funcionam ou não, ninguém tem certeza, mas, pelo sim, pelo não, o melhor é apertar o orçamento e garantir as boas vibrações para o Ano Novo”, diz. O comércio agradece. (A Tarde)