Mulher morta a facadas em Salvador já havia denunciado ex-marido e tinha medida protetiva contra ele

Foto: Raphael Marques/TV Bahia

A mulher que foi morta a golpes de faca, no bairro de Paripe, em Salvador, já havia denunciado o ex-companheiro – suspeito do crime – por tentativa de feminicídio e tinha uma medida protetiva de urgência contra ele.

A audiência do caso havia sido marcada para julho de 2020, mas Suse Bonfim foi morta no domingo (20). O corpo dela foi enterrado nesta segunda-feira (21), em Simões Filho, região metropolitana da capital.

A primeira tentativa de feminicídio, também a facadas, foi em janeiro deste ano. Suse procurou a Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) do bairro de Brotas, onde o caso foi registrado. A filha da vítima contou que, na época do crime, Jorge chegou a ser preso em flagrante, mas depois foi liberado.

Em junho deste ano, o Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA) moveu um processo contra Jorge Dias da Rocha, suspeito do crime. No documento consta que ele, ex-marido da vítima, respondia a medidas cautelares por tentar matar Suse, como manter endereço atualizado na Justiça.

No site do Tribunal de Justiça consta que, depois que Jorge foi solto, o auto de prisão em flagrante dele foi transformado em medida de protetiva de urgência, após pedido da Deam.

Ainda na documentação, a Justiça determinou que ele se afastasse do imóvel onde moravam, para que ela pudesse alugar a casa, porque não se sentia segura para voltar a viver na residência.

Neste domingo (20), a vítima foi novamente atacada pelo ex-companheiro. Ela chegou a ser socorrida para o Hospital do Subúrbio, mas não resistiu aos ferimentos. Dois vizinhos de Suse, que tentaram conter as agressões de Jorge também ficaram feridos.

Eles também foram levados para o hospital, e o estado de saúde dos dois não foi divulgado. Jorge Dias fugiu logo após o crime e é procurado pela polícia.

Agora, o caso é investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

G1/BAHIA